10ª edição da Análise Executivos Jurídicos e Financeiros traz radiografia de profissionais mais estratégicos

A décima edição do anuário Análise Executivos Jurídicos e Financeiros foi lançada no dia 29 de junho, com organização da Análise Editorial, em São Paulo. O programa do evento foi composto por café da manhã, apresentação de boas vindas do sócio e presidente do conselho editorial da Análise Editorial, Eduardo Oinegue e palestra do especialista em cenários políticos e econômicos, Ricardo Sennes.

 

A presente edição retrata o maior número de empresas e de executivos da série iniciada há dez anos e rende homenagens aos comandantes dos departamentos jurídico e financeiro, apontados como os mais admirados por seus próprios pares. Uma reportagem especial apresenta os executivos jurídicos que se destacam, na opinião dos colegas, pela terceira vez. Além de Josie Jardim, outros 40 executivos já apareceram na lista em edições anteriores. Algumas posições se alteraram, como Flávio Franco, da Netshoes, que já apareceu em décimo, em quinto e agora em segundo lugar. Catorze executivos estreiam na lista. O anuário traz, pela primeira vez, a eleição dos financeiros mais admirados, segundo os próprios pares. O conteúdo sobre os admirados pode ser conferido na página destinada aos admirados, com fotos do evento e lista completa dos 70 eleitos, sendo 16 financeiros admirados e 54 jurídicos. Confira o hotsite do evento.

 

Das mais de 1,8 mil empresas procuradas pela Análise Editorial, entre os dias 20 de fevereiro e 28 de abril deste ano, 1.046 atenderam aos entrevistadores da equipe. Na nona edição, que circulou em 2016, o número de empresas respondentes foi de 974, em um universo de 1.807. O aumento no número de respostas, de pouco mais de 7% entre um ano e outro, pode ser considerado significativo, uma vez que o volume de entrevistas parte de uma base já bastante alta. Das empresas entrevistadas, 204 são grupos empresariais que respondem por 440 companhias subsidiárias com operações no Brasil. O resultado da pesquisa permitiu a identificação de 2.586 profissionais citados nesta edição, sendo 1.368 responsáveis pelos departamentos jurídicos e 1.345 pelos departamentos financeiros. Dos profissionais citados, mais da metade apresenta dados sobre o executivo e o departamento. Esses são classificados na publicação como perfis completos. Os demais apresentam o nome e o cargo do profissional. Dos 1.397 perfis completos apresentados nesta edição de aniversário, 942 são de executivos jurídicos e 516 de executivos financeiros.

 

O crescimento do número de mulheres à frente dos departamentos jurídicos no decorrer de dez anos foi gradual. Iniciando com 31% na primeira edição e chegando a 38% neste ano. Nos departamentos financeiros, no entanto, não se percebeu mudança significativa do ponto de vista do gênero no comando. Por três anos seguidos, o percentual de mulheres respondendo pelas finanças das maiores empresas do país estagnou nos 8% do total. Elas estão em menor número do que as mulheres à frente dos departamentos jurídicos, mas ganham mais, em média. Enquanto o maior número de mulheres (36%) chefes da área financeira afirma ganhar entre 30 mil e 50 mil reais, a maioria das executivas jurídicas que responderam à pesquisa afirma receber entre 15 mil e 25 mil reais. O maior grupo de homens executivos financeiros, representado por 32% dos entrevistados, está no mesmo patamar das mulheres executivas financeiras. Mas entre os executivos jurídicos o maior grupo dos entrevistados (33%) está num patamar superior de rendimento em comparação às colegas mulheres na mesma função.